domingo, 15 de abril de 2012

Passa Quatro- MG

Cachoeira da Gomeira
Voltamos para  Passa Quatro neste feriado de Páscoa, para um destino mais tranquilo, para nos preparar para nossa próxima empreitada e porque é sempre gostoso voltar para esta “cidade amiga”, conforme a placa turística desta cidade que integra o Circuito Terras Altas da Mantiqueira.
Estivemos em  outubro de 2009 mas faltou algumas coisas para conhecer e lá fomos nós...


Pousada Eco da Montanha
Café da manhã











Nos hospedamos novamente, na Pousada Eco da Montanha que fica bem no centrinho da cidade e facilita para bater perna pelas lojinhas e também para a alimentação. Chegamos de manhãzinha, conforme combinamos com os amigos José Roberto e a Célia, para o café da manhã, que é uma refeição à parte. Destaque para o CafEco, o café cremoso. Pagamos o pacote para o feriado, podendo entrar às 12:00 hs de quinta-feira (pena que estávamos trabalhando...) até às 12:00 hs do domingo, nós três, R$ 630,00, com café da manhã.



Desta vez, combinamos previamente com a Eliana, da 4p4 Ecoturismo, pois na primeira vez caímos na besteira de não agendar nada, e como costumamos dizer, se você não pesquisa nada e não procura nada antes, você... não vai fazer nada e não conhecer nada da cidade. Combinamos para o passeio de metade do dia R$ 35,00 por pessoa, e no dia seguinte, de dia inteiro, R$ 70,00, sendo cortesia o Kenzo, de 5 anos.



"senhor" lendo o jornal na Estação Ferroviária
Quem nos acompanhou nos passeios, foi o Flávio, irmão da Eliana, super atencioso, profissional e prestativo, recomendamos! O passeio estava combinado para às 14:00 hs, então depois do café da manhã, batemos perna pelo centrinho, passamos na Estação Ferroviária para agendar o passeio de trem para o domingo e almoçamos na Villa Comini , um self service bem ajeitadinho, por quilo, com um bufê com saladas, purê de bacalhau (bom!!) e de sobremesa goiabada cremosa com queijo ou doce de leite com chocolate, tudo regado à Guaranita, o Guaraná local, docinho e gostoso...

travessia do riozinho, depois da chuva

travessia do riozinho, no dia seguinte, nem parece o mesmo lugar, né??

Às 14:00 hs pontualmente, o Flávio veio nos buscar no Toyota, mas estava receoso se conseguiríamos visitar a Cachoeira da Gomeira, por causa da chuva que tinha caído. De qualquer forma, seguimos para o passeio.
Como o Flávio temia, a chuva foi bastante pesada, chegamos até a beirinha do rio, mas não havia condições de atravessar, então o jeito foi retornar para a cidade. O Flávio ainda nos levou para um pesqueiro, onde você pesca a truta e paga por quilo de peixe pescado com a opção de prepararem o seu peixe na hora. Vimos muita gente lá, e a chuva não dava trégua. Também a pedidos, ele nos levou até a Balugart, uma loja de artigos de decoração, com artigos diversos e em ponta de estoque.


















À tardezinha, a chuva já tinha acalmado, nos proporcionando uma tarde bem agradável, típica de serra, com um pôr de sol incrível, batemos perna pelo centro, mas a maioria das lojas estava fechada e todos estavam indo para a missa (6ª feira da Paixão) tradição ainda preservada nesta cidade.




Geada e Gelo na Mantiqueira, huuuummmm!!!
Fechamos a noite, comendo nas Empadas La Motta, do Mauro de novo... Maravilhosa como sempre, com a massa artesanal, diferente de todas as outras empadas que já comemos, que oferece além das empadas, lasanhas, pizzas e spaguetti.
As salgadas são uma coisa, sabores entre outros, frango, frango com requeijão, carne seca, carne seca com requeijão, palmito, (R$ 3,50) mas não deixe de experimentar as doces, opções: Geada na Mantiqueira- empada doce (sabores goiabada com requeijão ou banana com canela), sorvete de creme e calda de chocolate (R$ 6,50) ou Gelo na Mantiqueira- massa de empada doce com leite condensado e decorada com sorvete de creme e calda de chocolate (R$ 5,00). É um problema escrever isso. Toda vez acabamos ficando com água na boca só de lembrar...ai,ai....
Tivemos que nos dividir aqui e os cunhados Renato e Ivete foram para o 6 e meia Gourmet, onde ela descreve a experiência...
Na volta, pegamos uma chuva danada e deu tempo ainda de pegar um pedacinho da procissão... coisa de cidade de interior, delícia!


Cachoeira da Gomeira

No dia seguinte, havíamos combinado com o Flávio, um passeio de dia inteiro para a Nascente do Rio Verde, uma trilha no alto da montanha e um almoço no Zé Acácio, mas considerando o aguaceiro do dia anterior, acabamos mudando o roteiro, pois o Flávio disse que estaria  praticamente impossível subir a serra pelas precárias condições da estrada.
O Flávio nos levou de volta para a Cachoeira da Gomeira, o passeio frustrado do dia anterior, e neste dia, foi beeem tranquilo a travessia para a Cachoeira. Vale realmente o passeio, a trilha é tranquilinha e a Cachoeira é muito bonita! Na parte de baixo forma um poço e é possível tomar uma ducha gostosa. Também é chamada de Saint Claire (acho que é assim que se escreve).

nós e o Flávio
o Ingazeiro
olha a pessoa bem pequeninhinha, no lado inferior
esquerdo da foto, em cima da pedra


Depois fomos conhecer o Ingazeiro, uma árvore enorme, imponente, maravilhosa!! (dizem ter cerca de 350 anos!!).

Rancho Pé de Pano

Voltamos para a cidade, almoçamos desta vez no Rancho Pé de Pano, comida mineira no fogão à lenha, por quilo, uma delícia!! (R$ 22,90 o quilo).

interior da loja
Minas de Minas

Minas de Minas












Passear no centro da cidade novamente, vendo as lojinhas de artesanato. Destaque aqui, para a Minas de Minas, da Francine. Aqui, além dos artesanatos muito gracinha, ela nos deu dicas bem legais: de um novo Circuito, batizado de Caminho dos Anjos, que circunda Passa Quatro, Itamonte, Alagoa, Aiuruoca, Baependi, Caxambu e São Lourenço, em 231 km de Desafio e Aventura. Também vimos o folder com aTereza Maria, fazendo o Feijão Passa Quatro, receita criada por ela e batizada assim pelo chef, showman e pão Olivier Anquier. A Francine comentou que à noite, no evento que aconteceria na praça, acho que era Baila Comigo- um evento com canções da Rita Lee, com cantores e participantes da cidade elas estariam vendendo o famoso feijão.

Esfiharia Monte Líbano
Assistimos à tardezinha, fragmentos dos ensaios, mas tínhamos compromisso para esta noite... já havia agendado uma ida à Esfiharia Monte Líbano, do Seu Francisco. Um negócio também!!!  Estou sendo redundante, mas o pão sírio, quentinho, fininho, temperado já vale a visita. Além de valer a visita o próprio Seu Francisco, uma figura! Mas reserve antes, chegue e espere... Ele mesmo, junto com a Rosa vão preparando o pedido mesa por mesa, por ordem de chegada, comandando o show onde todos vão assistindo o preparo das iguarias... 

Kibe cru
Trio de pastas










Pedimos (e recomendamos) o trio de pastas (homus, babaganush e coalhada seca) e kibe cru – (R$ 27,00 e R$ 29,00 a porção), que vêm acompanhados do pão sírio, além de esfihas (R$ 3,50) e do kibe (R$ 4,00). Chegamos às 20:30 hs, e saímos de lá às 23:30 hs, satisfeitos e rolando...

Passeio de Maria Fumaça
No domingo, conforme agendado, fomos fazer o passeio de trem Maria Fumaça.


O passeio custa R$ 30,00 por pessoa e crianças até 5 anos de idade são cortesia.
Emblemático, o primeiro passeio de trem da Júlia, e marcado com o apito característico e as acenadas tanto por quem está embarcado como por onde ele vai passando, além de um violeiro a bordo, trilha sonora “ao-vivo” onde nos acompanham a linda paisagem das montanhas de Minas...


Olha o S. João
em ação aí!!

O maquinário da locomotiva



Nós e o S. João
Conversamos com o S. João, o maquinista, que nos contou histórias desde o tempo que ele começou (em 1960!!!), muito simpático e atencioso!


Estação Manacá

A primeira parada, na Estação Manacá, venda de artesanatos e doces, e 15 minutos depois, continuamos o passeio, até a Estação Coronel Fulgêncio, onde vendiam as cestinhas com os morangos silvestres aguardado ansiosamente, pois o Flávio havia comentado com a Júlia que possivelmente encontraríamos estas cestinhas. 










túnel na estação
Coronel Fulgêncio
Estação Coronel Fulgêncio














Lá, uma pequena caminhada sobre os trilhos até a entrada do túnel e uma explicação histórica pela competente Lisângela. Ela nos contou vários fatos históricos, como a própria história da estação Coronel Fulgêncio, a criação de Passa Quatro e a razão do nome da cidade, da história dos bandeirantes, da Garganta do Embaú, do acompanhamento do tracejado da Estrada Real junto à Linha Férrea, um verdadeiro passeio também pela história do local e do Brasil, e ainda, do projeto da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária de cruzar o túnel com uma locomotiva a diesel (o que renderia um ótimo passeio também). Nossas perguntas quase fez atrasar nossa saída da estação, só passamos rapidinho para umas fotos e de volta para o trem, terminando o passeio por volta das 12:00 hs.
Não fizemos esse passeio na primeira vez que estivemos mas vale muito a pena, recomendamos muito!

as paisagens vistas do trem
Pegamos e pagamos o restante das nossa “encomendas” na Casa de Frios Passa Quatro, recomendado pelo Flávio: nozinhos de muzzarela de búfala, queijos meia cura e parmesão, de fabricação local, a groselha de Passa Quatro, pura, deliciosa, analisada pela especialista Júlia, um macarrão diferente, caseiro, vendido ainda em pacotes de papel, que já experimentamos tudo esta semana e me arrependi na verdade, de não ter trazido muito mais...

Retornamos para a Pousada, fechando a conta e nos despedindo dos amigos José Roberto e Célia, já vislumbrando um próximo retorno para conhecer um novo recanto a convite do Mauro, (empadas La Motta), onde o Zé disse que faz questão de nos acompanhar!
Sempre um prazer voltar para esta Cidade Amiga, onde como o nome diz, além da beleza da paisagem, a importância histórica do lugar contada pelas monitoras, ainda permanece aqui nesta cidade, aquele gostinho de interior, da gente simples, da comida farta a um preço justo, organizados sim, para o turismo mas não com o cunho exploratório e desvairado a que somos submetidos em diversas outras localidades que visitamos e que somos conquistados a cada volta pelo aconchego e carinho das pessoas.

o interior do trem
as montanhas de Minas












Para quando você for

-Distância de SP: cerca de 240 km. A dica aqui, é entrar no km 34 da Dutra, em Silveira, seguindo em direção para Cruzeiro. http://www.passaquatro.com.br/comochegar.html


-Bancos: no centro da cidade: Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander.

-Restaurantes/lanchonetes/comidinhas:
-Villa Comini, R. Arlindo Luz, 201, Centro, diariamente de 11:00 às 14:30 hs
- Empadas La Motta: R. Ten. Viotti, 64, no centro, funciona das 13:00 às 23:00 hs.
- 6 e meia Gourmet:
-Esfiharia Monte Líbano: A melhor indicação é no bairro Pinheirinho (o mais fácil é entrar nos lustres Balugart, sentido Cruzeiro). Agende antes: fone: (35) 3371-3502;
-Rancho Pé de Pano: fica na Rodovia MG 158, km 16, Trevo do Ibama. 
-Casa de Frios Passa Quatro: R. Samuel Libânio, 43, Centro
-Estalagem Usina Velha: (não estivemos lá,mas recebemos muitas recomendações): Rod. MG 158, km 54.

-Trem da Serra: (35) 3371-2167. Agende antes.
Horários: Sábado: 10:00 e   14:00 hs (sob consulta)
                Domingo: 10:00 hs.


Já visitados:
-Floresta Nacional do Ibama:
.Fone: (35) 3371-2220
Acesso: a partir do trevo de Passa Quatro, rodovia MG 158 por estrada asfaltada até o portão de entrada da Unidade de Conservação.
- Brasil Nota 10 : Um projeto bem legal, não deu tempo para visitar novamente, mas um passeio imperdível na cidade. 
Fone:(35)3371-3999
Email: contato@brasilnota10.com.br


- Guias:
-4p4 Ecoturismo:  Flávio (35) 8401-0182
                              Eliana : Oi (35) 8841-7206
                                           Claro (35) 8438-5948
                                           Tim (35) 9108-7100
                                           e-mail: ecoturismo4p4@hotmail.com

-Harpia Adventure: Pç. Dr. Castro, 37- Centro.
  Fone: (35) 3371-2616
   Cel.: (35)  9149-0080

-Guto: (35) 3371-3355





8 comentários:

  1. Ola Marcia/João

    Primeiramente vimos agradecer pela presença de vcs e seus amigos em nossa pousada, esperamos
    estarmos juntos num futuro proximo.

    Agradecer tbem. pelo carinho com que vcs tratam nossa cidade, berço de toda minha familia.

    Finalmente, só tenho a dizer: Muito obrigado por
    tudo, esta é parte de nosso trabalho que faz com que trabalhamos com o coração para receber pessoas como vcs.

    desejmos bos caminhadas

    familia ECO DA MONTANHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigos!
      Nós é que agradecemos a calorosa acolhida a cada vez que visitamos vocês!
      Também esperamos que a nossa volta seja breve!
      Um grande abraço a toda a família Eco da Montanha!
      Marcia, João e Júlia

      Excluir
  2. Ola amigos caminhantes, aqui é Flavio o guia ainda estou caçando o brinquedo perdido pelo garoto "na verdade o pai", obrigado pelo contexto desta matéria que vocês fizeram. Uma matéria campeã.
    obs: alem de guia tenho um bar restaurante, que trabalho de quinta a sábado, sirvo especialmente picanha com arroz cheiroso, e tenho este mix de feijão que vocês colocaram na matéria.
    Este Feijão foi criado desta maneira.
    Como proprietário de um bar restaurante e empório vendo 22 ou mais qualidades de feijão.
    Isto foi criado por um cliente que chegando no meu emporio me pediu 100 gramas de cada tipo de feijao. eu como vendedor fiquei abismado da pessoa pedir 100 gramas de cada tipo. lhe perguntei "voce vai plantar cada um desses feijoes???" ele me responde "nao eu vo misturar tudo e cozinhar" eu como dono de um pequeno bar restaurante ja imaginei alguma coisa, atendi o fregeues da maneira que ele queria e preparei para mim a mesma quantidade que ele pediu. fechei o estabelecimento fui para casa e comecei a preparar o prato que ele me tinha falado. menina campeão, prato espetacular. voltando no outro dia ao meu emporio embalei o feijao um a um onde se deu um mix como ficou muito bonito o pacote com aqueles feijoes um encima do outro resolvi colocar nas casas de artesanatos para ser vendidos aos turistas os pacotes sucesso foi impressionante. para os proprietários dei a receita de como fazer, como dono de um bar restaurante coloquei defumados e melhorou a receita do cliente, tendo a primeira festa de gastronomia usaram essa receita que hoje é famosa na cidade.
    De quem é a receita??????????????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!
      Novamente, obrigada por nos acompanhar e mostrar os belos recantos de Passa Quatro! Quanto ao brinquedo do Kenzo, como nós "brincamos" aqui em casa, teve uma morte digna...rsrs...ele que não nos escute...
      Sinto muito, mas a história do feijão contei assim porque me venderam o peixe, digo o feijão, assim, além de a Teresa Maria ter refutado uma outra reportagem no Ecoviagem, de outra blogueira, a Naiana Natureza e ela escreveu que a receita era dela????
      Direitos autorais a parte, a parte mais importante é que... Não provamos o feijão!!!
      O que sabemos é que precisamos voltar, experimentar os dois e tirar a prova!!
      Um grande abraço!
      Marcia, João e Júlia

      Excluir
  3. A região da Serra da Mantiqueira tem uma paisagem de tirar o fôlego. Suas dicas são muito boas. Parabéns pelo blog. Gostei muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigada pela leitura, pelo comentário, pelo elogio e por estar nos seguindo também!!
      A região é linda realmente, e quanto mais visitamos, mais descobrimos recantos maravilhosos como este!
      Um grande abraço!
      Marcia, João e Júlia

      Excluir
  4. Thanks for the reading and the comment.
    We are honored with a visit from a far away place!
    We've visited your site and really good tips there!
    Keep contact!
    A big hug!
    Marcia, João and Julia

    ResponderExcluir

Olá leitor,
Estamos em período de transferência, portanto comente e nos visite no nosso novo endereço por favor:
http://oscaminhantes.com
Obrigada e até breve!!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.